CMMI 2.0 com a metodologia Scrum: é possível?

ProMoveAgilidadeCMMI 2.0 com a metodologia Scrum: é possível?
CMMI 2.0 e Scrum

Chega de polêmicas. O CMMI 2.0 e o Scrum podem trabalhar juntos.

Com práticas fundamentais à responsabilidade em disciplinas específicas, o CMMI colabora para que as empresas possam escolher bons fornecedores na contratação de softwares, com previsões de prazos e custos, além do mais, pode ter amplo papel no mercado.

O CMMI 2.0

A versão 2.0 do modelo de referência, foi lançada em 2018 e apresentou significativas mudanças em relação a sua versão anterior. Trouxe como algumas de suas principais características, um conteúdo informativo destinado a linguagem amigável sobre o próprio modelo, bem como um conteúdo específico destinado ao contexto de desenvolvimento de produtos e, ainda, uma abordagem aguçada para comparação de resultados efetivos, que garantem melhorias em todos os níveis de maturidade.

É um modelo focado na intenção de ajudar as empresas a criarem um mapeamento de organização de metas de desenvolvimento, contribuindo com o planejamento de organização e auxílio no dia a dia, mantendo um alinhamento dos processos em um framework capacitado.

O que foi aprimorado?

Bem como já citado, em relação às novidades em algumas de suas principais características, o CMMI 2.0 agregou todas as evoluções já existentes nas versões anteriores, além de ter aperfeiçoado a harmonização que não era cumprida anteriormente, em virtude da frequente redundância e inconsistências, como apresentada na versão 1.3.

A reorganização e novas alcunhas para algumas áreas fazem parte da nova arquitetura, ademais, algumas notáveis diferenças que impactam diretamente nos negócios, como a redução no total de custos de aquisição, referentes às certificações, o que é um grande benefício para os clientes, além do alicerçamento do CMMI como um padrão de mercado benéfico às empresas que o adotaram como modelo de referência em seus programas qualitativos.

E a relação com o Scrum, é amigável?

Utilizado em mais de 60% de projetos ágeis de todo o planeta, o Scrum é um framework de planejamento e gerenciamento de projetos de software.

As versões anteriores do CMMI frequentemente geravam polêmica, pelo fato de não serem consideradas suficientemente compatíveis com o Scrum e outras ferramentas de desenvolvimento ágil. No entanto, desde março de 2018, a polêmica foi finalizada.

O CMMI 2.0 conta com orientações de como estimular a agilidade e o desempenho dos processos em projetos ágeis, incluindo o Scrum. O CMMI Institute alega que existem condutas exatas para orientar as organizações desses projetos, com o intuito de enriquecer os seus processos e alavancar a competência em suas práticas ágeis.

O que mais é preciso saber em relação ao CMMI 2.0?

A versão 2.0 do CMMI está mais fácil de ser aderida às empresas. O CMMI Institute revisou absolutamente todas os conteúdos e práticas que não agregavam nenhum tipo de valor e o corrigiu, apresentando uma versão muito competente e completamente adaptável às metodologias ágeis do mercado.

Desde suas primeiras versões, chegou ao mercado com o intuito de facilitar a eficácia das etapas de trabalho. A versão 2.0 apresenta melhorias que capacitam o desenvolvimento de um projeto único, bem como um de organização inteira.

O treinamento é obrigatório, bem como o certificado de profissionalização para os que já realizaram o treinamento oficial da versão 1.3 do CMMI.

Quer saber mais ou ainda tem dúvida sobre como implementar esses dois modelos? Entre em contato conosco!

Sobre o Autor

Consultor em Melhoria de Processos na ProMove. Doutor em Engenharia de Sistemas e Computação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2010), Mestre em Engenharia de Sistemas e Computação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2003) e graduado em Ciência da Computação pela Universidade Federal da Bahia (2000). Possui experiência em melhoria de processos, gerência de projetos e coordenação de equipes de consultoria. É consultor na implantação de processos aderentes aos modelos de qualidade CMMI e MPS. Atuou na concepção/desenvolvimento de um framework na linguagem .Net. É certificado ITIL v3 Foundation. É instrutor credenciado dos cursos de capacitação do modelo MPS. É implementador credenciado do modelo MPS para Software e MPS para Serviços. É avaliador líder experiente do modelo MPS para Software e Serviços. É avaliador líder do modelo CERTICS.