Métricas do Scrum: Como medir resultados?

ProMoveAgilidadeMétricas do Scrum: Como medir resultados?
Scrum

A cada dia que passa, as equipes precisam aumentar as entregas, mesmo que o tempo não aumente na mesma proporção. Para ajudar a cumprir esse cronograma, dar mais agilidade e produtividade aos times e organizar o escopo de trabalho, são adotadas metodologias ágeis sendo o Scrum a mais utilizada.

Existem algumas métricas ágeis que você pode acompanhar para avaliar o progresso da equipe e implementar melhorias, quando necessário. Continue a leitura deste post para conhecer as principais métricas do Scrum.

O que são metodologias ágeis?

Você já utiliza métodos ágeis com suas equipes? Antes de tudo, é importante saber que eles surgiram com o intuito de auxiliar os times de TI durante a execução de um projeto para o desenvolvimento de um software ou produto. Podem ser replicados em outras áreas ou projetos para auxiliar:

  • Comunicação: entre equipes, processos e ferramentas;
  • Praticidade: um projeto dividido em ciclos de entregas menores e com acompanhamento em tempo real dos times envolvidos;
  • Colaboração: todos trabalham em conjunto para chegar ao melhor resultado;
  • Flexibilidade: adaptações podem ser feitas durante o projeto e antes da entrega final.

As metodologias ágeis foram criadas a fim de gerenciar as etapas de produção de um projeto, principalmente as mais longas e sem entregas bem definidas. Afinal, todo projeto precisa de um início e de um fim, mesmo que as etapas entre um e outro se estendam.

Diferentemente dos métodos tradicionais, os métodos ágeis propõem ciclos de desenvolvimento mais curtos. As entregas são bem definidas, com foco em melhorias contínuas e alinhadas aos objetivos do negócio, mais flexibilidade e espaço para adaptações. Os mais conhecidos são o Lean, o Smart, o Kanban e o Scrum.

Como funciona o Scrum?

O Scrum é uma das metodologias ágeis mais conhecidas, amplamente aplicado em gestão de projetos e desenvolvimento de software.

Por meio de um framework, o projeto é dividido em ciclos de entregas contínuas, com intervalos de tempo pré-definidos. Cada ciclo é um Sprint, e dura menos de quatro semanas. As tarefas que serão desenvolvidas ficam no Backlog, listadas por ordem de prioridades.

Backlog => Sprint => Reunião de validação e alinhamento => Entrega

Quando um Sprint termina, a equipe faz uma reunião para validar as entregas do projeto e avaliar a necessidade de ajustes. E o fluxo segue assim até que tudo seja concluído.

Quais são as métricas do Scrum mais utilizadas?

As metodologias ágeis também usam métricas de apoio para avaliar o projeto e fazer as melhorias necessárias. Sem métricas, os times tendem a reagir depois que os problemas já aconteceram e não conseguem evoluir continuamente.

Com as métricas, as equipes trocam o papel de reação pelo poder da ação. Dessa forma, as falhas são antecipadas e os ajustes podem ser feitos ao longo do caminho, antes da entrega final. Veja, a seguir, as principais métricas do Scrum:

Velocidade (Velocity)

Considerada uma das métricas mais básicas do Scrum, a velocidade é utilizada para medir a capacidade de entrega da sua equipe. Normalmente, ela é medida a partir da entrega dos sprints, de 1 a 3 ciclos similares. Envolve:

  • Tecnologia;
  • Perfil de cada membro do time;
  • Nível de experiência e de dificuldade do projeto;
  • Tempo de trabalho de todos como equipe;
  • Conhecimento do projeto.

A velocidade de um time nunca deve ser comparada a de outro. Sempre que for avaliar, compare o desempenho da equipe apenas com as entregas realizadas por ela.

Lead Time (Tempo por Lead) e Cycle Time (Tempo por Ciclo)

A primeira métrica, Tempo por Lead, equivale ao tempo total entre o pedido do cliente até a entrega do projeto, ou seja, o tempo entre a tarefa ter sido criada no Backlog e chegar ao status de Done (Concluído). O tempo é contado sem levar em consideração o desenvolvimento.

A segunda métrica, Tempo por Ciclo, por sua vez, considera o tempo de desenvolvimento de uma tarefa. Começa a ser medida a partir do Doing/In Progress (Em andamento) até o Done (Concluído). Pode ser menor ou igual ao Tempo por Lead.

As duas métricas levam o número de horas ou dias investidos para realizar uma determinada tarefa dentro do projeto. São usadas em conjunto com o Kanban, embora a visibilidade maior fique com o Tempo por Ciclo.

Lead/Cycle Time Manual

A maior parte das áreas de TI dispõe de ferramentas, como o Jira Software ou o Azure DevOps, que auxiliam o acompanhamento do processo. E até geram gráficos de análise do desempenho das equipes.

Os ciclos de entrega também podem ser feitos manualmente, à moda antiga, no papel ou em uma planilha do Excel ou Google Sheets.

Basta simular uma sprint com as entregas no eixo x (horizontal) e o Lead Time, em dias ou horas, no eixo y (vertical), por exemplo. As linhas se encontram sempre que a entrega chega ao Done. Para projetar o tempo médio que o time leva nas entregas, você precisa descobrir o maior e o menor Lead Time.

Burndown/Burnup Chart

Burndown e Burnup são gráficos utilizados para acompanhar o andamento dos projetos, levando em conta três fatores: tempo, esforço e prazo de entrega.

O primeiro gráfico, Burndown, é responsável por mostrar como a equipe lida com o fluxo de tarefas em um Sprint. Serve para avaliar se o prazo foi cumprido ou sofreu algum atraso.

O segundo gráfico, Burnup, analisa o cumprimento das tarefas. Dessa forma, é possível ver o que falta entregar e em que etapa o time está.

Existem ainda outras métricas do Scrum como o Test Coverage, Bugs e Uptime/Downtime. Elas podem ser incluídas para acompanhar o desenvolvimento de um projeto e/ou o desempenho da equipe.

Quais vantagens o método traz para as equipes?

Graças ao Sprint e à lista de tarefas no Backlog, toda a equipe é integrada ao projeto. Um sabe o que o outro faz, a produtividade aumenta, enquanto a margem para atrasos diminui. Assim como os riscos de erros, que podem ser antecipados pelo caminho.

Por meio de metodologias ágeis e com as métricas do Scrum, as equipes trabalham mais alinhadas e com mais flexibilidade para propor alternativas. O escopo de trabalho ganha eficiência e economia de recursos devido a entregas que tendem a ser mais efetivas.

A adoção de métricas do Scrum facilita o fluxo de projetos, equipes e entregas. Ainda mais na área de TI, que vê seus processos se tornarem mais simples e eficientes. Agora só falta começar a coletar essas métricas e acompanhar os efeitos na prática.

Sobre o Autor

Bacharel em Jornalismo pela Universidade Veiga de Almeida. Apaixonada pelo poder de atração que a comunicação possui, constantemente ligada à redes sociais e web. Insaciável curiosidade para aprender e obter sempre novas ideias. Atualmente é Analista de Marketing da ProMove Soluções.