Quais são os níveis de maturidade do MPS BR?

ProMoveCertificaçãoQuais são os níveis de maturidade do MPS BR?

Para entender mais sobre os níveis de maturidade do MPS-BR-SW, vamos falar um pouco primeiro a respeito do MPS BR propriamente dito.

O MPS BR é um programa mobilizador criado em dezembro de 2003, que contribui para melhoria de processos, desempenho dos negócios e alavancagem da inovação, tornando as Organizações mais competitivas.

Coordenado pela Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (SOFTEX), com o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações e Comunicações (MCTIC), o MPS tem como objetivo apoiar a inserção da cultura da qualidade principalmente nas micro, pequenas e médias empresas brasileiras.

Porém o principal foco do programa é melhorar a capacidade de desenvolvimento de software, serviços e as práticas de gestão de RH na indústria de TIC. Para isto, foram elaborados 3 modelos:

  • MR-MPS-SW: modelo de referência associado à melhoria de processo de Software;
  • MR-MPS-SV: modelo de referência associado à melhoria de processo de Serviços;
  • MR-MPS-RH: modelo de referência associado à melhoria de processo de Gestão de Pessoas.

Hoje, mais de 700 empresas brasileiras foram avaliadas nesses modelos, como pode ser verificado no site do MPS. Dessas, 690 empresas estão avaliadas no MR-MPS-SW.

Este artigo vai apresentar todos os níveis, processos e atributos de processos envolvidos para implementar o Modelo de Referência de Melhoria de Processo de Software, o MR-MPS-SW.

Qual a base técnica do MR-MPS-SW?

O Modelo de Referência MR-MPS-SW (MPS para Software) tem como base técnica a NBR ISO/IEC 12.207:2009 Engenharia de Sistemas e Software — Processos de Ciclo de Vida de Software e o CMMI-DEV®. Este modelo está descrito no Guia Geral MPS de Software.

A ISO 12.207 define uma estrutura e terminologias comuns para processos de ciclo de vida de software. A estrutura contém processos, atividades e tarefas que serão realizados durante o fornecimento, desenvolvimento, operação, manutenção e descontinuidade dos produtos de software, assim como durante a aquisição de um produto ou serviço.

O CMMI ® (Capability Maturity Model ® Integration – Modelo Integrado de Maturidade e de Capacidade) é um modelo de maturidade para melhoria de processo, gerido pelo CMMI Institute®, para o desenvolvimento de produtos e serviços.

Esse modelo define as melhores práticas associadas as atividades de desenvolvimento e de manutenção do ciclo de vida do produto, desde a concepção até a entrega e manutenção.

Complete os dados da sua empresa nesta planilha e saiba se seus processos na área de serviços estão realmente aderentes aos modelos MPS para serviços, ITIL e ISO 20000.

Quais os níveis de maturidade do MR-MPS-SW?

O MR-MPS-SW é o modelo de referência de software baseado em níveis de maturidade, que são uma combinação entre Processos e sua Capacidade.

O Processo é caracterizado por seu propósito e seus resultados esperados. O resultado esperado do processo é atendido por meio de atividades e tarefas. Cada nível do modelo é atendido por um conjunto de processos a serem implementados.

A Capacidade do Processo é a caracterização da habilidade do processo para alcançar os objetivos de negócio. Cada nível do Modelo é atendido por um conjunto de atributos de processo associados.

O MR-MPS-SW apresenta 7 níveis de maturidade, apresentado abaixo do menor ao maior:

  • Nível G: Parcialmente Gerenciado;
  • Nível F: Gerenciado;
  • Nível E: Parcialmente Definido;
  • Nível D: Largamente Definido;
  • Nível C: Definido;
  • Nível B: Gerenciado Quantitativamente;
  • Nível A: Em otimização.

A seguir serão apresentados, para cada nível, os propósitos dos processos, bem como os resultados esperados e atributos conforme definido no Guia Geral MPS de Software. Confira!

Nível G: Parcialmente Gerenciado

O nível de maturidade G é o primeiro nível a ser implementado no modelo. Ele é composto por dois processos, com os seguintes propósitos e resultados esperados:

  • Gerência de Projetos (GPR): o propósito é estabelecer e manter planos que definem as atividades, recursos e responsabilidades do projeto, bem como prover informações sobre o andamento do projeto que permitam a realização de correções quando houver desvios significativos no desempenho — devem ser implementados 19 resultados esperados, neste nível;
  • Gerência de Requisitos (GRE): o propósito é gerenciar os requisitos do produto e dos componentes do projeto e identificar inconsistências entre os requisitos, os planos do projeto e os produtos de trabalho do projeto — devem ser implementados 5 resultados esperados.

Neste nível a implementação deve atender aos seguintes atributos de processo:

  • AP 1.1: o processo é executado — o objetivo é medir o quanto o propósito do processo é alcançado pela sua execução;
  • AP 2.1: a execução do processo é gerenciada — o objetivo é medir o quanto a execução do processo é gerenciada.

Nível F: Gerenciado

O nível de maturidade F é o segundo nível do modelo, sendo aderente ao nível 2 do CMMI-DEV.

Esse nível é composto pelos processos do nível anterior (GPR e GRE) e por mais cinco processos, com os seguintes propósitos e resultados esperados:

  • Aquisição (AQU): O propósito é gerenciar a aquisição de produtos que satisfaçam às necessidades expressas pelo adquirente — devem ser implementados 8 resultados esperados;
  • Gerência de Configuração (GCO): O propósito é estabelecer e manter a integridade de todos os produtos de trabalho de um processo ou projeto e disponibilizá-los a todos os envolvidos — devem ser implementados 7 resultados esperados;
  • Garantia da Qualidade (GQA): O propósito é assegurar que os produtos de trabalho e a execução dos processos estejam em conformidade com os planos, procedimentos e padrões estabelecidos — devem ser implementados 4 resultados esperados;
  • Gerência de Portfólio de Projetos (GPP): O propósito é iniciar e manter projetos que sejam necessários, suficientes e sustentáveis, de forma a atender aos objetivos estratégicos da organização — devem ser implementados 8 resultados esperados;
  • Medição (MED): O propósito é coletar, armazenar, analisar e relatar os dados relativos aos produtos desenvolvidos e aos processos implementados na organização e em seus projetos, de forma a apoiar os objetivos organizacionais — devem ser implementados 7 resultados esperados.

Neste nível a implementação dos processos deve atender aos atributos dos níveis anteriores e ao seguinte atributo de processo:

  • AP 2.2: os produtos de trabalho do processo são gerenciados — o objetivo é medir o quanto os produtos de trabalho do processo são gerenciados, isto é, produzidos, controlados e mantidos.

Nível E: Parcialmente Definido

No nível de maturidade E entram os processos organizacionais. É composto pelos processos dos níveis anteriores (GPR, GRE, AQU, GCO, GQA, GPP e MED), pelos resultados evoluídos da Gerência de Projetos (três resultados esperados) e por mais quatro processos, com os seguintes propósitos e resultados esperados:

  • Avaliação e Melhoria do Processo Organizacional (AMP): o propósito é determinar o quanto os processos padrões da organização contribuem para alcançar os objetivos de negócio da organização e para apoiar a organização a planejar, realizar e implantar melhorias contínuas nos processos com base no entendimento de seus pontos fortes e fracos — devem ser implementados 10 resultados esperados;
  • Definição do Processo Organizacional (DFP): o propósito é estabelecer e manter um conjunto de ativos de processo organizacional e padrões do ambiente de trabalho usáveis e aplicáveis às necessidades de negócio da organização — devem ser implementados 8 resultados esperados;
  • Gerência de Recursos Humanos (GRH): o propósito é prover a organização e os projetos com os recursos humanos necessários e manter suas competências adequadas às necessidades do negócio — devem ser implementados 11 resultados esperados;
  • Gerência de Reutilização (GRU): o propósito é gerenciar o ciclo de vida dos ativos reutilizáveis — devem ser implementados 5 resultados esperados.

Neste nível a implementação dos processos deve atender aos atributos de processo dos níveis anteriores e os seguintes atributos de processo:

  • AP 3.1: o processo é definido — o objetivo é medir o quanto o processo padrão da organização é mantido de forma a apoiar sua adaptação para um processo definido.
  • AP 3.2: o processo está implementado — o objetivo é medir o quanto o processo padrão está implementado na organização.

Nível D: Largamente Definido

No nível de maturidade D entram os processos da engenharia de software. É composto pelos processos dos níveis anteriores (GPR, GRE, AQU, GCO, GQA, GPP, MED, AMP, DFP, GRH, GRU) e por mais cinco processos, com os seguintes propósitos e resultados esperados:

  • Desenvolvimento de Requisitos (DRE): o propósito é definir os requisitos do cliente, do produto e dos componentes do produto — devem ser implementados 7 resultados esperados;
  • Integração do Produto (ITP): o propósito é compor os componentes do produto, produzindo algo integrado e consistente com seu projeto, e demonstrar que os requisitos funcionais e não funcionais são satisfeitos para o ambiente alvo ou equivalente — devem ser implementados 9 resultados esperados;
  • Projeto e Construção do Produto (PCP): o propósito é projetar, desenvolver e implementar soluções para atender aos requisitos — devem ser implementados 8 resultados esperados;
  • Validação (VAL): o propósito é confirmar que um produto ou componente do produto atenderá ao seu uso pretendido quando colocado no ambiente para o qual foi desenvolvido — devem ser implementados 7 resultados esperados;
  • Verificação (VER): o propósito é confirmar que cada serviço e/ou produto de trabalho do processo ou do projeto atende apropriadamente os requisitos especificados — devem ser implementados 6 resultados esperados.

Neste nível a implementação dos processos deve atender aos atributos de processo dos níveis anteriores.

Nível C: Definido

O nível de maturidade C é composto pelos processos dos níveis de maturidade anteriores (GPR, GRE, AQU, GCO, GQA, GPP, MED, AMP, DFP, GRH, GRU, DRE, ITP, PCP, VAL, VER), por mais três processos, com os seguintes propósitos e resultados esperados:

  • Desenvolvimento para Reutilização (DRU): o propósito é identificar oportunidades de reutilização sistemática de ativos na organização e, se possível, estabelecer um programa de reutilização para desenvolver ativos a partir de engenharia de domínios de aplicação — devem ser implementados 9 resultados esperados;
  • Gerência de Decisões (GDE): o propósito é analisar possíveis decisões críticas usando um processo formal, com critérios estabelecidos, para avaliação das alternativas identificadas — devem ser implementados 7 resultados esperados;
  • Gerência de Riscos (GRI): o propósito é identificar, analisar, tratar, monitorar e reduzir continuamente os riscos em nível organizacional e de projeto — devem ser implementados 9 resultados esperados.

Neste nível a implementação dos processos deve satisfazer os atributos dos níveis anteriores.

Nível B: Gerenciado Quantitativamente

O nível de maturidade C é composto pelos processos dos níveis de maturidade anteriores (GPR, GRE, AQU, GCO, GQA, GPP, MED, AMP, DFP, GRH, GRU, DRE, ITP, PCP, VAL, VER) e pelos resultados evoluídos do Gerência de Projetos (7 resultados esperados).

Neste nível a implementação dos processos deve atender aos atributos de processo dos níveis anteriores e aos seguintes atributos de processo:

  • AP 4.1: o processo é objeto de análise quantitativa — o objetivo é medir o quanto as necessidades de informação são definidas, os relacionamentos entre os elementos de processo são identificados e dados são coletados;
  • AP 4.2: o processo é controlado quantitativamente — o objetivo é medir o quanto dados objetivos são utilizados para gerenciar o desempenho do processo que é predizível.

Nível A: Em Otimização

O nível de maturidade A é composto pelos processos dos níveis de maturidade anteriores (G ao B). Não apresenta processos específicos do nível.

Neste nível a implementação dos processos deve atender aos atributos de processo dos níveis anteriores e aos seguintes atributos de processo:

  • AP 5.1: o processo é objeto de melhorias incrementais e inovações — o objetivo é medir o quanto mudanças são identificadas a partir de investigação de enfoques inovadores para a definição e implantação do processo;
  • AP 5.2: o processo é objeto de implementação de melhorias inovadoras e incrementais — o objetivo é medir o quanto as mudanças na definição, gerência e desempenho alcançaram os objetivos.

O Modelo de Referência MR-MPS-SW está sendo implementado desde 2003, com inúmeros casos de sucesso.

Este modelo é compatível com o CMMI-DEV (Capability Maturity Model Integration) e prepara a Organização para a internacionalização. Seu custo-benefício é excelente para Empresas que desejam se tornar competitivas no mercado interno e externo.

Porém, elas enfrentam também muitos fracassos na implementação do MR-MPS-SW. Geralmente, esses fracassos estão relacionados a uma implementação by the book que, em vez de agregar valor, gera burocracias desnecessárias, emperrando o processo.

Um bom roadmap de implantação é iniciar com o nível G, que estrutura a empresa e já implementa os conceitos de gerenciamento de projetos e requisitos. As empresas iniciam o pensamento sistêmico de transformar requisitos em processos e atividades, preparando a base da pirâmide da maturidade organizacional.

Qual a importância dessa certificação para melhorar a gestão de processos da empresa?

Utilizar o MPS-SW em seu negócio trará agilidade e resultados mais consistentes no desenvolvimento de sua empresa.

Em vez de depender da indefinição e incerteza nos diversos processos que fazem parte do desenvolvimento do seu negócio, você terá um modelo seguro a ser adotado e seguido que certamente poderá aprimorar o seu empreendimento.

Ao adotar essa metodologia e obter a certificação em sua empresa, os resultados a serem alcançados são mais que animadores. Algumas das consequências positivas dessa implementação e avaliação que poderíamos ressaltar são:

  • melhora considerável na organização dos processos;
  • aumento da margem de lucro;
  • credibilidade da empresa;
  • garantia da entrega final com qualidade.

Deseja saber mais sobre como adquirir a certificação MPS? Confira nosso e-book abaixo!

CMMI MPS ISO

Como implementá-lo nas empresas?

Para implementá-lo é preciso reorganizar e reestruturar os processos de gestão e produção em sua empresa. Como os processos do MPS-SW são adotados em níveis de maturidade, é preciso que você alinhe o seu negócio a cada uma das etapas requeridas e aos poucos consiga atender aos requisitos de cada processo.

Empresas de consultoria em TI, como a ProMove, podem ajudar nesse percurso, apontando os elementos que ainda precisam ser trabalhados na empresa para atingir essa excelência, bem como demonstrar qual a melhor forma de extrair os melhores resultados dessa metodologia.

Como você viu, é sempre possível alcançar desdobramentos mais favoráveis em sua empresa quando você tem as informações certas e sabe o que é preciso ser feito para efetivar isso. Agora que já sabe como chegar lá, aproveite para mudar a forma como tem lidado com essa questão.

Se gostou de conhecer os níveis de maturidade do MPS-SW e de saber como colher bons resultados disso, não deixe de nos seguir nas redes sociais. Assim, você poderá ter acesso a mais conteúdos de qualidade como este. Estamos no Facebook, no Twitter e também no LinkedIn.

Sobre o Autor

Consultor em Melhoria de Processos na ProMove. Doutor em Engenharia de Sistemas e Computação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2010), Mestre em Engenharia de Sistemas e Computação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2003) e graduado em Ciência da Computação pela Universidade Federal da Bahia (2000). Possui experiência em melhoria de processos, gerência de projetos e coordenação de equipes de consultoria. É consultor na implantação de processos aderentes aos modelos de qualidade CMMI e MPS. Atuou na concepção/desenvolvimento de um framework na linguagem .Net. É certificado ITIL v3 Foundation. É instrutor credenciado dos cursos de capacitação do modelo MPS. É implementador credenciado do modelo MPS para Software e MPS para Serviços. É avaliador líder experiente do modelo MPS para Software e Serviços. É avaliador líder do modelo CERTICS.